Formação sobre a Campanha da Fraternidade do Setor Boqueirão é realizada no Santuário Nossa Senhora do Carmo

Nesta Terça-Feira, 18 de Fevereiro, foi realizada no Santuário Nossa Senhora do Carmo uma formação sobre a Campanha da Fraternidade 2020 para agentes pastorais do Setor Boqueirão.

A campanha deste ano tem como tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e como lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33 – 34) que faz referência a parábola do bom samaritano, que aborda a prática do amor e do cuidado com o outro. Na parábola Jesus fala sobre um homem que descia de Jerusalém a Jericó. No caminho ele acabou caindo nas mãos de ladrões. Os ladrões roubaram tudo o que o homem tinha, e ainda lhe feriram muito. Então o homem ficou abandonado e gravemente ferido, caído na estrada. Passaram por ali algumas pessoas que nada fizeram por ele. Passou por ali também um samaritano. Ao ver o homem ferido, o samaritano se compadeceu dele, tratou dos ferimentos do homem com óleo e vinho. Depois ele colocou o homem sobre o seu próprio animal e o levou para uma hospedaria a fim de cuidar dele. No dia seguinte, antes de partir, o samaritano deu dois denários (moeda de prata de maior valor no Império Romano) ao dono da hospedaria para que ele continuasse cuidando do homem ferido. O samaritano ainda disse que se houvesse qualquer outro gasto, o dono da hospedaria deveria colocar em sua conta que ele acertaria quando voltasse.

 A Campanha da Fraternidade deste ano tem por objetivo conscientizar as pessoas para o olhar e o cuidado com os chamados “novos rostos pobres” da sociedade atual: os jovens que se mutilam, os refugiados, pessoas que passam por acidentes de trânsito, desempregados, indivíduos que sofrem de doenças emocionais, mulheres que sofrem agressões, pessoas que tentam suicídio, que passam por conflitos no campo, etc. A Campanha busca voltar os nossos olhos para vidas que estão caídas, como fruto da indiferença sistêmica de nossa sociedade e fazer com que nós, como Igreja viva e profética, possamos encontrar maneiras pastorais de se aproximar destas pessoas e fazer algo de bom para elas, seja na dimensão do assistencialismo, passando por apoio psicológico e espiritual, inclusão social até o encaminhamento para um emprego, por exemplo, agindo assim, de fato, no problema ou situação que determinada pessoa está passando, para mudar sua realidade.

A formação realizada no Santuário do Carmo foi ministrada pelo padre Danilo Vitor Pena, coordenador da dimensão social da Arquidiocese de Curitiba. Para ele, é preciso encontrar desdobramentos da temática da Campanha em nossa vida pastoral, planejando ações que possam ir ao encontro das necessidades dos nossos irmãos. “A Campanha busca gerar uma nova consciência à luz da palavra de Deus, para dar sentido à vida como dom e compromisso, que se traduz em relação ao mutuo cuidado entre as pessoas, seja na família, na comunidade, na sociedade e no planeta como nossa casa comum.”

Agentes Pastorais do Setor Boqueirão estiveram reunidos no Santuário do Carmo para a Formação sobre a Campanha da Fraternidade 2020.

Para padre Danilo, precisamos olhar nossos irmãos, como a imagem e semelhança de Deus. “Temos que olhar para o outro como o Cristo que sofre. Esta é uma campanha que se preocupa com o olhar. O excesso de estrutura nos faz indiferentes, porque há estruturas que nos engessam em fazer o bem, nos tornando indiferentes com nossos irmãos. Temos que fazer uma importante reflexão e pensar ‘até que pontos as estruturas atuais nos impedem de agir samaritanamente?’ Queremos olhar para a vida entendendo que ela é expressão primorosa do amor de Deus, pois nos somos imagem e semelhança dele” afirmou o padre. Um exemplo prático é Santa Dulce dos pobres. “A obra de Dulce dos pobres é consenso. Muitos lugares são resistentes ao cristianismo, mas são consenso sobre o trabalho de Dulce dos pobres. Precisamos pensar e agir mais como ela” destacou.

A Campanha da Fraternidade 2020 começa oficialmente na Quarta-Feira de cinzas, dia 26 de Fevereiro, e vai até o fim do ano litúrgico, com um cronograma de atividades para o desenvolvimento do tema e ações durante o ano todo.

Arte oficial da Campanha da Fraternidade 2020 faz referência ao trabalho social de Santa Dulce dos pobres, exemplo de bom samaritanismo

COMO SURGIU A CAMPANHA DA FRATERNIDADE?

 Em 1961, três padres, responsáveis pela Cáritas no Brasil, idealizaram uma campanha com o objetivo de levantar fundos para dar assistência aos pobres e deram a esse projeto nome de Campanha da Fraternidade. A Campanha foi realizada pela primeira vez em 1962, na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. Em 1963 dezesseis dioceses do Nordeste realizaram a Campanha da Fraternidade. No ano de 1964, foi lançada a Campanha da Fraternidade a nível nacional pela CNBB com o tema: “Igreja em Renovação”.

A Campanha da Fraternidade surge no contexto do Concílio Vaticano II, que iniciou um tempo de renovação pastoral da Igreja e por este motivo a Campanha da Fraternidade é um grande convite a nos convertermos para a prática da justiça social, da solidariedade, da partilha e do amor ao próximo.

Reportagem: Andrey Princival Gabardo – Fotos: Yasmin Lipinski

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário