GRATIDÃO!

Chegando ao final de mais um ano, o meu sentimento é de gratidão, de ação de graças por tantas possibilidades realizadas. Pela graça de cotidianamente ir escrevendo a minha história pessoal e juntamente com tantas outras pessoas de boa vontade, escrevendo também, a história do nosso Santuário do Carmo. As oportunidades foram tantas: fazer o bem, escutar, partilhar, amar, sentir compaixão, celebrar a vida, os sacramentos e sacramentais, amizades, doação, conhecimento, entrega… Encontro com tantas pessoas com suas histórias sofridas e alegres, expressões de fé e de confiança incondicional em Deus, tantas pessoas de todas as idades, amantes de Nossa Senhora, a mãe de Jesus, a Senhora do Carmo! Gestos de gratidão e de gratuidade é uma profunda e eficaz terapia para a liberdade do ser.

A gratidão é um viver em profunda conexão com o interior, um verdadeiro mergulho no ser. A gratuidade acessa à polifonia da vida, na sua variedade, nos seus contrastes e paradoxos, na sua realidade densa, abrindo-nos caminhos para a compreensão do mistério. Jesus é o Mestre do gratuito! Que abre caminhos e faz do obstáculo, possibilidades geradoras de vida e de encontro. A gratidão e os gestos de agradecer abrem as portas do coração. Deus nos ama incondicionalmente.

Com muita verdade e alegria, agradeço a cada irmã, a cada irmão que colocaram seus dons e talentos sem medidas, a serviço do Reino de Deus no meio de nós, e juntos, estamos desenhando a comunidade eclesial missionária, sustentada pelos pilares da Palavra, do Pão, da Caridade e da Ação Missionária. Obrigado por tanto bem vivido e realizado! Obrigado a todas as forças vivas e lideranças que com imensa generosidade e gratuidade ofereceram e continua a oferecer parte do seu tempo para que o Santuário realize a sua missão-vocação. Minha gratidão a todos que aqui chegam para se derramarem em oração.   

Importante também, mesmo que não entendamos, agradecer por aquilo que não nos foi dado. Como assim? Agradeça e verá o resultado. Vamos entender a partir de uma fala de José Tolentino Mendonça, nomeado recentemente Cardeal da Igreja, que partilha uma atitude de uma pessoa amiga, diz: “Gosto de agradecer a Deus tudo o que ele me dá, e é sempre tanto que nem tenho palavras para descrever. Sinto, contudo, que lhe tenho de agradecer igualmente o que ele não me dá, as coisas que seriam boas, e que eu não tive, o que até eu pedi e desejei muito, mas não encontrei. O fato de não me ter sido dado obrigou-me a descobrir forças que eu não sabia que tinha e, de certa maneira, permitiu-me ser eu”. A Trindade Santa minha gratidão e o meu muito obrigado! A todos os irmãos e irmãs, minha total alegria e gratidão por vocês existirem e permitirem que o amor e a misericórdia sejam a razão de toda a nossa existência. Obrigado! Gratidão!